Os principais erros de português e como não errar mais

Mais ou mas? Mal ou mau? Vir, ver ou vier? Não é novidade que a língua portuguesa é um idioma riquíssimo e, portanto, complexo. Por isso, é comum que as pessoas se deparem com dúvidas ao escrever. Então, pare te ajudar a compreender um pouco mais nossa língua, confira os principais erros de português e a forma correta:

  1. Há / A

Para indicar tempo passado, usa-se o verbo haver. O “a”, como expressão de tempo, é uma preposição, usado para indicar futuro ou distância.

Exemplos: Sou advogado há cinco anos. / Daqui a duas semanas vamos viajar.

  • Haver / A ver

A primeira é um verbo e a segunda indica afinidade entre duas coisas.

Exemplos: Pode haver falha no sistema. / Os irmãos não têm nada a ver um com o outro.

  • Senão / Se não

Senão (junto) significa “a não ser” ou “caso contrário”. Se não (separado) é usado nas orações subordinadas condicionais.

Exemplos: Estude para prova, senão vai reprovar. / Se não chover, podemos sair.

  • Vem / Veem

Os dois são verbos, mas o primeiro é de “vir” e o segundo é conjugação de “ver”.

Exemplos: Ele vem me visitar. / Eles não veem a hora de chegar.

  • Afim / Afim

“Afim” é ligado à afinidade, enquanto “a fim” é a proposição ligada ao “fim”, no sentido de finalidade, ou seja, contém um objetivo.

Exemplos: Você está a fim de assistir ao filme? / Ela assistiu ao filme, a fim de entender a história.

  • Onde / Aonde

“Onde” refere-se a um lugar em que algo ou alguém está, enquanto “aonde” refere-se ao lugar para onde algo ou alguém vai. O primeiro indica permanência e, o segundo, movimento.

Exemplos: Onde está meu livro? / Eu vou aonde eu quiser.

  • Hora / Ora

O primeiro você sabe o que significa. A dúvida aparece sobre o segundo, né? O “ora” sem “h” pode significar “agora” e “além disso”.

Exemplo: Por ora, estamos fechados.

  • Este / Esse

Este artigo ou esse artigo? “Este” refere-se ao que está perto de quem está falando, enquanto “esse” refere-se ao que está longe de quem fala,

Exemplos: Este lápis está sem ponta, me empreste esse que está com você.

  • Tem / Têm

O verbo “ter” conjugado na terceira pessoa do plural leva acento circunflexo.

Exemplos: Ele tem insônia. / Eles têm insônia.

  1. Há um ano / Há um ano atrás

“Há” e “atrás” referem-se ao passado, por isso, é redundante utilizar os dois na mesma frase.

Exemplos: Me formei há um ano. / Me formei um ano atrás.

Esses são alguns erros que você não vai mais cometer. Agora, quer ficar ainda mais craque na língua portuguesa? A Intensiva tem vários cursos sobre o idioma e um deles aborda exatamente o que você precisa saber! Confira:

https://www.intensivacursos.com.br/?s=lingua+portuguesa&post_type=product

DICA BÔNUS: Porque, porquê, por que ou por quê?

É tudo “porque”, mas cada um tem uma aplicação correta:

Porque: conjunção que pode ser usado para indicar uma causa ou explicação de algo. Tem um valor aproximado de “pois”. Exemplo: Não fui ao baile porque estou doente.

Porquê: substantivo com significado de “motivo” ou “razão”. Acompanha um artigo, pronome, adjetivo ou numeral. Exemplo: Quero saber o porquê disso.

Por que: a preposição “por” pode acompanhar o pronome interrogativo “que” ou o pronome relativo “que”. De forma que pode ser o significado de “por qual razão” ou “pelo qual”. Exemplos: Por que você não vai à escola? / Os lugares por que passei eram bonitos.

Por quê: continua com o significado de “por qual razão”, porém é acentuado quando vem antes de um ponto (final, interrogativo, exclamação). Exemplo: Você não foi à escola, por quê?

Gostou deste artigo? Então, continue acompanhando nosso blog para conferir mais conteúdos que podem alavancar a sua vida acadêmica ou profissional!

Deixe um comentário